SistemaFecomercioSescSenacIPDC

Em 2018, a expectativa é de crescimento de vendas


Os consumidores esperam pelas promoções de janeiro para comprar aparelhos domésticos, como, televisão e geladeira

 

Em 2017, o mercado de trabalho voltou a gerar vagas de emprego, a produção industrial aos poucos se recupera e a inflação em queda pode estimular o consumo. Dessa forma, a economia dá os primeiros sinais de retomada.

Entretanto, os brasileiros não devem esperar por um crescimento explosivo em um curto período de tempo. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em outubro, o país ainda tinha 12,7 milhões de desempregados e, conforme os estudos desenvolvidos pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio/CE), o medo do desemprego é um dos fatores que mais afeta a disposição do consumidor.

 

Mesmo com este cenário, os fortalezenses estão mais favoráveis ao consumo. Pode ser observado, a partir da observação do hábito de consumo de Fortaleza, uma mudança sútil do perfil de compras, com o consumidor retornando as tradições do período anterior à crise, o que configura uma excelente oportunidade para o varejo.

 

Em janeiro, os consumidores esperam encontrar as promoções que já fazem parte do calendário do varejo da capital. A expectativa é de que haja o aumento na procura por televisores, geladeiras e máquina de lavar, pois os clientes procuram aliar a oportunidade das promoções com itens que tragam mais conforto para o lar. “Um dos segmentos mais impactados pela crise foi o de eletroeletrônicos, pois o consumidor restringiu suas compras ao essencial para sua sobrevivência. À medida que a economia dá sinais de melhora ele volta a procurar os itens de consumo duráveis e semiduráveis”, explica a diretora institucional da Fecomércio/CE, Cláudia Brilhante.

 

Além disso, espera-se que o consumidor não se endivide com as compras de final de ano, mantendo a capacidade de pagamento para aproveitar as promoções. Ele também espera que os juros do varejo acompanhem a queda de juros da economia.

 

Já para os empresários, a dica é manter as finanças da empresa sob controle, evitar investimentos que possam ser adiados e apostar no relacionamento com o seu cliente. E se prepare para as vendas, pois elas virão!