Criada e mantida pelos empresários do comércio.

Sistema

Empresários do CE contam com financiamento para projetos de inovação

Desenvolvimento não acontece sem inovação. Com o objetivo de incentivar o crescimento do setor do comércio de bens, serviços e turismo do Ceará, o Sistema Fecomércio-CE firmou parceria com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e realizou, na última quarta-feira (18/7), capacitação com colaboradores, diretores do Sesc e do Senac, e dirigentes sindicais para informar acerca das oportunidades de financiamento da agência.

“É preciso pensar e implementar projetos de inovação e tecnologia ligados à nossa atividade para modernizar o segmento de serviços, varejo, atacado e do turismo. Esse é um momento importante de apresentar aos empresários as diversas formas e recursos para estar à frente da concorrência no mercado”, analisou a vice-presidente da Fecomércio, Circe Jane Teles da Ponte, na abertura do evento.

Vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), de acordo com o gerente substituto do Departamento Regional Nordeste da Finep, Paulo Resende, a agência atua em diversos setores da economia através de parcerias e linhas de créditos, desde a pesquisa básica até a preparação do produto final. “Ninguém inova sozinho, é fundamental ter apoio e trabalho em conjunto. Toda vez que o empresário tiver uma ideia que gere impacto positivo tanto para a empresa como para a sociedade, a Finep vai apoiar. Pode ser uma startup, uma empresa com duas pessoas ou uma de grande porte, apoiamos”, explica.

Além da agência de financiamento, a Fecomércio também dialoga com a Universidade Estadual do Ceará (Uece) e com a Universidade de Aveiro, em Portugal, buscando alternativas de programas e plataformas para o desenvolvimento do Turismo no Estado, segundo o secretário executivo do Conselho Empresarial do Turismo e Hospitalidade – Cetur, Marcos Pompeu.

Benefícios para o Comércio

“Não precisa o empresário criar nada extraordinário, basta que olhe ao redor e perceba as oportunidades de crescimento que estão sendo colocadas” relata Paulo Resende, acrescentando ainda que a tecnologia da informação é fundamental para o comércio nos seguintes aspectos:

1. Automação de vendas, não só no mercado online, mas, principalmente automatizar dentro da loja física;

2. Ter segurança patrimonial, prevenindo roubos e perdas, inclusive nos grandes estoques e centros de distribuição;

3. Atração de outras oportunidades, pois por meio de um comércio ágil e flexível é possível expandir para novos mercados, cidades e regiões;

4. Inteligência de negócio para identificar o perfil dos consumidores que têm maior interesse no seu produto e utilizar essa informação para conseguir retorno financeiro.

Finep Nordeste
Com quatro escritórios regionais no Brasil, sendo o Nordeste o mais novo com um ano de atividade, a agência tem como meta consolidar o diálogo com instituições e empresas. O diretor do Departamento Regional Nordeste da Finep, Almircy Pinto, destacou a importância da Fecomércio para sensibilizar os empresários e difundir os projetos de inovação. “A Fecomércio é uma entidade muito organizada, ativa e comanda um setor muito importante na economia do Ceará. Foi a primeira a nos procurar, e precisamos desse dinamismo para também ter sucesso como agência de financiamento”, aponta.

Entre as áreas em que a Finep atua, impulsionando projetos, estão: Saúde e Qualidade de vida; Energias Renováveis; Petróleo, Gás e Indústria Naval; Agronegócio e Alimentos; Aeroespacial e Defesa; Química; Telecomunicação e Semicondutores; Mineração e Siderurgia; Automotivo; Sustentabilidade; e Infraestrutura de Pesquisa.

Sobre os 70 anos do Sistema Fecomércio
Após o período da Segunda Guerra o Brasil passou por grandes desafios. O Estado não conseguia atender à crescente demanda por serviços sociais, nem acompanhar o novo contexto do mercado de trabalho. Deste modo, em maio de 1945, representantes empresariais da indústria, comércio e agricultura, realizam em Teresópolis, a primeira Conferência das Classes Produtoras (CONCLAP). Nesse encontro elaboram uma proposta ousada de custeio dos serviços sociais e da educação profissional para os trabalhadores com recursos das classes patronais. A Carta da Paz Social foi o documento que formalizou as diretrizes para o desenvolvimento econômico com justiça social. Nascia assim, a partir da iniciativa do empresariado, o Sistema S, o maior Sistema de desenvolvimento social do mundo.

No Ceará, em 16 de março de 1948, o empresário Clóvis Arrais Maia fundou a Federação do Comércio com a finalidade de unir lideranças do setor para colaborarem com a educação profissional e a qualidade de vida dos trabalhadores. No mesmo ano, a Fecomércio implanta o Sesc e o Senac instituições mantidas pelos empresários do comércio que ofertam serviços sociais e educam para o comércio de bens, serviços e turismo.

Serviço:
Financiamento a projetos de Inovação
Finep Nordeste
Rua Costa Barros, 915,Sala 801
http://www.finep.gov.br/como-obter-financiamento-component